n .

estaria a mentir se te dissesse que não me custa este desapego . habituei-me à tua presença diária , àquelas palavras que apertavam cá dentro , aqueles arrepios e formas estranhas que provocavas , à troca de palavras , de afectos , de carinhos , de beijos . adorava adormecer com uma mensagem tua , acordar com um bom dia teu mas até isso desapareceu dum dia para o outro . deixou de haver sorrisos para haver duvidas . nunca pensei foi que talvez conseguisses bater tão forte cá dentro e que me cativasses desta forma , o mais estranha possível . admito que nem eu mesma estava à espera que algo acontecesse fosse com quem fosse . acredito que a " nossa história " se é assim que se possa chamar ao que temos , não tenha virgulas mas sim pontos finais . vejo que tudo se vai apagando como quem apaga um erro com uma borracha . como vês , são mais os momentos maus do que bons . faz-me falta aqueles abraços apertados ( mesmo que tenham sido poucos ) dos quais senti o teu calor . se for ver , sinto falta de tanta coisa que em poucos dias me deste e que para mim chegaram para gostar de ti desta forma . sinto falta , principalmente da tua presença ao meu lado , cara a cara . cativaste-me até pela simples coisa . sempre me disseram ao longo da vida que a esperança é a ultima a morrer e que tudo tem o tempo certo , o lugar certo e que nada acontece por acaso , que no fim tudo tem alguma razão mas sinceramente não sei o que hei-de fazer mais e estar só eu a batalhar por uma luta não dá . nem sei até perceber metade das coisas que acontecem connosco . já houveram tantas palavras apaixonadas , palavras que fizeram-me acreditar que tudo era possível um dia . acredito que o destino junte pessoas , mas neste caso , deixa duvidas . sei tanto quanto tu que isto é tão recente , tão inesperado que mal sabemos explicar um ao outro esta tremenda cumplicidade e como é que nasceu tanto em tão pouco tempo . parecendo que não , as coisas já deixam marca , pelo menos a mim ( a ti não sei ) , e nem imaginas de que maneira . quem me dera ter aquele poder de pegar em cada momento , arranca-lo de mim e guarda-lo no baú das recordações fechado a sete chaves . o corpo humano ainda não evoluiu a esse ponto , assim talvez todos nós ficássemos indiferentes à situação mas isso tornaria-nos pessoas ainda frias e sem sentimentos , pensando bem.  gostava tanto de te poder perceber , talvez assim as coisas poderiam resultar de outra maneira quem sabe , mas infelizmente , não consigo . tu nem me deixas conhecer-te realmente , é um facto . ora hoje me fazes bem , ora amanhã tenho que aceitar que te esqueces de mim sem poder reclamar se quer . há tanta coisa que te queria dizer mas penso que não seja ainda a altura ideal para tal ou até , se te as direi . quem me dera que isto tudo me fosse indiferente , assim , não ficava no estado em que hoje estou e suponho que não te sintas assim , tão mal quanto eu mesmo sabendo que não tenho a culpa . como te disse um dia , afeiçoei-me demasiado . chega por vezes a haver alturas em que tenciono desistir por saber que não dá em nada , e por ironia do destino , não consigo desistir . talvez fosse , quer dizer , de certeza que era o mais correcto , o mais indicado . porventura poupava dores , poupava lágrimas , poupava tanta coisa , mas algo , ( lá está ) inexplicável , agarra-me a ti mesmo sabendo que em ti , tudo seja diferente . sei que o orgulho ajuda e contribui na maior parte do que acontece . ele fala sempre mais alto e as coisas nem sempre são como queríamos , presumo .  deixa-me dizer-te que , ao leres isto tudo ainda consigas duvidar do que aqui escrevi , seja de cada palavra seja de cada frase e se porventura não dê em nada , quero que saibas que do pouco que tivemos , significou bastante para mim .

Sem comentários: